Ouça a Nossa Web Radio

Anuncie aqui

Anuncie aqui

sábado, 31 de dezembro de 2016

Retrospectiva das Lágrimas - poema de Alexandre Sertão (Reflexões)

Alexandre Sertão, Poeta, Compositor, Ator e
Produtor Cultural (Petrolândia-PE)
Retrospectiva das Lágrimas         

Nesse instante de reflexão eu olho para mim,
E deparo-me com pensamentos do passado 
E faço uma retrospectiva das perdas, 
Das lágrimas caídas, sim! 
Dos prantos que na solidão, com medo, chorei! 
E lembro-me dos sonhos, que na ilusão ficara,
Dos planos frustrados, dos projetos não realizados
De agendas não cumpridas, de metas não alcançadas 
De tristezas vidas, de lágrimas derramadas. 
Sim! Devo lembrá-las, pois não vou esconder de mim.
As frustrações dos meus dias, o medo das minhas noites.
Não vou esconder do meu eu fracassado agora:
Os erros cometidos, minhas mentiras, as mancadas, 
As vergonhas, humilhações, as ilusões, 
Dos desejos sem prazer, das vontades não vividas.
Não posso, não devo esquecer, do meu ontem.
Do que não foi conquistado, das vezes que frustrei, e fui frustrado 
Das vezes que fiz alguém sofrer e chorar, 
Das vezes que magoei, e fui magoado.
Das vezes que fiquei calado, por não ter o que falar.
Das bobagens que falei sem pensar.
Não! Não posso esquecer-me das derrotas, 
Da minha arrogância no agir, no falar.
Do medo que me calou, da ignorância que me fez gritar. 
Não posso esquecer-me de tudo isso.
Pois eu quero, eu preciso, e mereço algo melhor, 
Um amanhã melhor, mereço conquistas, e limites alcançar.
Se esquecer-me de tudo que sofri e perdi, 
Se eu não fizer uma reflexão de agora, do passado, 
Se eu não fizer uma retrospectiva das minhas lágrimas,
No próximo ano, nos novos momentos, nos novos dias, 
Novamente estarei frustrado, novamente magoado
Não serei covarde, fraco e tolo como fui! 
Sim! Devo agir e avaliar:
Os erros - e não cometê-los. 
Os medos - e enfrentados. 
As Ilusões - e ir em busca das realidades. 
“Agora olho para trás e sinto-me capaz de seguir.
Porque não fechei os olhos para as minhas derrotas, 
Pelo contrário, eu abri os olhos para as possíveis vitórias !”
Para um eu diferente, melhor, projetado, objetivo! 
Um eu que tive inúmeras, cicatrizes e perdas.
Mas tive vitórias, bênçãos, algumas conquistas.
Um eu que será lutador, mesmo com dores,
O corpo cansado, maltratado pelas batalhas.
Levado, machucado, mudado com o tempo.
Vencido em alguns momentos pelo medo, pelo fracasso.
Um eu, que ver o novo ano, os dias que virão,
Como uma oportunidade de recomeçar.
E conseguir ser um vencedor, de ser mais.
Porquê tenho um Deus que me ama, e cuida de mim.
Porque tenho pessoas queridas, que me quer bem.
Serei um vencedor, porquê acredito em mim
E hoje serei melhor que ontem, para mim, por mim, por todos.
Porque mereço ser feliz, e buscarei a felicidade para os meus dias.

Alexandre Sertão
31.12.2016


Fonte: Blog Cultura Petrolândia

Nenhum comentário:

Postar um comentário