Anuncie aqui

Anuncie aqui

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Servidor estadual pode ficar sem 13º salário, admite governo

Durante entrevista concedida à Rádio Jornal, nesta sexta-feira, o secretário de Administração de Pernambuco, Milton Coelho, admitiu a possibilidade de o governo do Estado não pagar o 13º salário do funcionalismo (Foto: Rádio Jornal)

governo de Pernambuco pode não ter dinheiro em caixa para pagara o 13º salário do funcionalismo público, admitiu nesta sexta-feira (04) o secretário de Administração, Milton Coelho. Em entrevista à Rádio Jornal, Coelho retirou a garantia feita no mês passado pelo secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanini, de que as finanças do Estado estavam bem e que o funcionalismo receberia seus salários e a gratificação natalina em dia.

Nessa entrevista, Milton Coelho explicou que até o final do ano o governo do Estado terá de pagar três folhas de salários (novembro, dezembro e o 13º), num valor total de R$ 2,1 bilhões, e que esse dinheiro ainda não existe nos cofres estaduais. Ele limitou-se a afirmar que o governo está trabalhando, mas ao contrário do que disse seu colega Stefanini no mês passado, ainda não tem os recursos necessários para atender à despesa das três folhas.

O secretário aproveitou sua entrevista para dirigir críticas ao movimento sindical, que segundo ele não atentou para a gravidade da crise que o Estado e o País atravessam e fica reivindicando reajustes salariais que segundo ele os cofres públicos não têm condições de atender. “Estão querendo reajustes de salários, quando a nossa luta é pagar os salários em dia”, afirmou Milton Coelho.

As informações do secretário de Administração indicam que Pernambuco, a exemplo de outros Estados, pode estar a caminho de uma indesejável situação de inadimplência. Para evitar isso, já foram escalonados os pagamentos dos proventos dos aposentados e dos salários de servidores efetivos e comissionados, mas a queda da arrecadação que ocorre em todas as unidades da Federação poderá se repetir e agravar a situação de Pernambuco.


FONTE: Correio do Grande Recife

Nenhum comentário:

Postar um comentário